Blog

Os 4 bairros de Madrid onde o aluguel cabe no bolso

12 Jul 2021 - Categoria: Blog /
Gentrificação Madrid

Uma das preocupações mais comuns de quem vai viver em outro país é saber exatamente onde morar. Para quem quer morar em Madrid, conhecer os bairros da cidade é essencial para tomar uma decisão acertada na hora de alugar um quarto ou apartamento.

A capital espanhola sofre atualmente com o fenômeno da gentrificação. Isto é, zonas deterioradas que viraram zonas de moda devido à chegada de novos comércios, negócios e, sobretudo, turistas. Como consequência, essas regiões, localizadas principalmente no centro, sofreram um aumento do preço dos aluguéis e as populações locais das zonas gentrificadas se viram forçadas a deixar suas moradias.

O processo se intensificou com o surgimento de aplicativos como Airbnb, preocupando não apenas os moradores locais, mas também estrangeiros que vêm morar na capital e se deparam com aluguéis cada vez mais caros. Bairros populares de Madrid, como Malasaña, Lavapiés e Chueca são alguns dos que mais sofreram com o fenômeno.

Entretanto, é importante ressaltar que, com a pandemia e o consequente fim do turismo, houve uma diminuição de preços generalizada. De acordo com o Índice Inmobiliario Fotocasa, o preço do aluguel caiu quase 2% na Espanha no primeiro trimestre de 2021. Em Madrid, a queda foi de 8,6%.

Ainda assim, Madrid segue sendo a terceira cidade com os aluguéis mais caros do país, perdendo apenas para Barcelona (Catalunha) e San Sebastián (País Vasco). Por isso, para quem busca preços mais acessíveis, fizemos uma busca no site Idealista e recomendamos quatro bairros um pouco mais afastados do centro, mas muito bem comunicados e com uma vida cultural vibrante.

Resumo

Os 4 bairros de Madrid mais econômicos

Antes de mais nada, ressaltamos que, na hora de buscar um bairro de Madrid onde morar, é importante pensar nas suas prioridades e preferências, para além do preço do aluguel: vida cultural? Ambiente familiar? Diversidade? Proximidade do centro?

Nem sempre é possível ter tudo, mas nossas recomendações são feitas com o intuito de você ter de sacrificar o mínimo possível na hora de fazer essa escolha. Relembramos que Madrid é uma cidade extremamente cosmopolita, com restaurantes, bares, museus, escolas e postos de saúde por todos lados. Além de possuir um sistema de transporte público de muita qualidade e muito extenso, de modo que viver um pouco mais afastado em nada prejudica ter uma vida social intensa.

Vallecas: Um dos bairros mais típicos de Madrid, é conhecido por ser o bairro da população trabalhadora e é ideal para quem busca um ambiente de “pueblo”, mais tranquilo e até mesmo autêntico. Em Vallecas, são abundantes as feiras de rua, parques e até mesmo eventos esportivos, como a maratona São Silvestre Vallecana. Além de ser uma das zonas mais multiculturais da capital, com uma grande comunidade imigrante e cigana.

Para quem quer apenas alugar um quarto, é possível encontrar opções de qualidade por 250 euros. Já para quem quer alugar um apartamento inteiro, os preços partem dos 500 euros, um valor bastante acessível comparado a bairros do centro da cidade, por exemplo.

Usera: Apelidado carinhosamente de “o bairro chinês”, 21,29% da população de Usera é estrangeira, segundo os dados mais recentes da Prefeitura de Madrid. Aliás, é o bairro com a maior porcentagem de população estrangeira depois do Centro. Por conta disso, a vida cultural da zona é famosa por realizar festas que celebram as origens de seus habitantes, majoritariamente chineses. Durante o Ano Novo Chinês, por exemplo, realizam-se atividades durante todo o mês e moradores de toda Madrid visitam o bairro.

Os preços são semelhantes aos de Vallecas. Aluguéis de apartamentos inteiros custam a partir de 500 euros, já quartos podem ser alugados a partir de 250 ou 300 euros.

Tetuán: Com certeza é um dos distritos mais heterogêneos de Madrid, tanto por sua arquitetura, quanto pela população que o habita. Cosmopolita, dinâmico e de fortes contrastes sociais, oferece ótima comunicação com o centro da cidade e também possui uma grande comunidade imigrante. A zona está organizada em seis bairros: Bellas Vistas, Cuatro Caminos, Castillejos, Almenara, Valdeacederas e Berruguete.

Na hora de buscar um apartamento em Tetuán, é importante levar em consideração que, quanto mais próximo do centro da cidade, mais difícil será encontrar um aluguel acessível. O que não significa, contudo, que estar afastado do centro é sinal de aluguéis baratos. Para quem quer economizar e alugar um apartamento inteiro, vale a pena apostar em Berruguete, Castillejos e Valdeacederas, que possuem preços que partem de 600 euros. Por outro lado, Cuatro Caminos e Bellas Vistas são ideais para quem busca alugar apenas um quarto e quer ficar mais próximo do centro, como é o caso de estudantes. A título de comparação, em Castillejos apenas um quarto sairia por 570 euros ao mês. Já em Cuatro Caminos, é possível encontrar opções por 325 euros.

Barrio del Pilar: Localizado no noroeste de Madrid, o Barrio del Pilar foi criado para abrigar a população trabalhadora e imigrante, com vários projetos de moradias populares. A população desse bairro madrilenho é bastante engajada e, por isso, a zona dispõe de uma vida cultural significativa, com teatro, biblioteca, centro cultural e piscina municipais, ideal para famílias, principalmente. Um pouco mais caro que as opções anteriores, os aluguéis de apartamentos inteiros giram em torno dos 600 euros, enquanto é possível encontrar quartos por 300 euros.

Bônus: o bairro de brasileiros

Uma das principais dificuldades de viver fora é a saudade da nossa cultura, comida e idioma. Mas morar em Madrid não significa ter que abrir mão do pão de queijo, do samba ou do português.

Em Lavapiés, por exemplo, existe um restaurante brasileiro, de tapioca, a Tapiocaria; e um centro cultural/bar brasileiro com música ao vivo e caipirinha, o Maloka.

Agora, para quem quer morar no pedacinho brasileiro de Madrid, por um preço acessível, vale a pena considerar o bairro de Vista Alegre. Pertencente ao distrito de Carabanchel, é o bairro mais populoso da zona. Ali mora a classe trabalhadora da capital, além de muitos imigrantes, principalmente brasileiros. Abundam mercados, padarias, cafés e açougues brasileiros ou com funcionários do Brasil.

Com relação a preços, um apartamento custa cerca de 650 euros ao mês. Por outro lado, é possível encontrar quartos por 270 euros ao mês.

Em suma, estar longe do centro não significa perder qualidade de vida. Além dos exemplos citados, existem muitos outros bairros de Madrid que oferecem benefícios semelhantes, dependendo das preferências de cada um. E, seguindo essas dicas, você ainda poderá enviar todo o dinheiro que economizar para a sua família com a Small World, que opera com transferência de dinheiro, rápida e segura, em mais de 90 países.



Usamos cookies e outras ferramentas de análise que nos ajudam a entender como você usa nossa página e com isso criar uma experiência mais adaptada para nossos usuários. Ao selecionar "Aceitar", você esta de acordo com o uso de cookies. Mais informação.